Notícias

Bancos Centrais reduzem juros e monitoram desaceleração do PIB global

Ano 2 - Edição 25

por Nicola Tingas, Consultor Econômico

Bancos Centrais reduzem juros e monitoram desaceleração do PIB global

O cenário internacional indica uma forte queda do comércio global e severa redução da atividade industrial, em boa parte agravada pelo conflito comercial e tecnológico entre USA e CHINA. Nesse contexto, ocorre importante deflação e desaquecimento expressivo no ritmo de crescimento dos principais países relevantes no PIB mundial.

Esse ambiente tem induzido muitos Bancos Centrais ao redor do mundo a promover redução adicional de  suas taxas de juros e realizar operações de ampliação de liquidez no sistema financeiro (em alguns países); e também apoiar o refinanciamento de passivos e fluxos privados. Assim, predomina uma histórica e brutal liquidez nas finanças globais. 

Entretanto, países emergentes podem ter restrições na atração de capital externo de portfólio e de investimento, em caso de aumento da aversão ao risco. Em agosto, houve maior volatilidade afetando moedas e bolsas de países em fragilidade fiscal (Brasil), risco de liquidez externa (Argentina) e/ou risco político e institucional.

Em setembro, a redução de juros e estímulos pelo Banco Central Europeu (ECB), Federal Reserve (FED) e outros, ao mesmo tempo em que ocorre ligeira trégua na "guerra comercial" entre USA e China, atenuaram a transmissão de efeitos de aversão a risco para países emergentes como o Brasil, facilitando o corte da taxa de juros pelo Comitê de Política Monetária (Copom). 

A redução da taxa de juros (Selic) de 6%, para 5,50%, foi acompanhada de comunicado do Copom, que sinaliza intenção de praticar uma política monetária incisivamente estimulativa, para apoiar a recuperação cíclica da economia. Com esperados juros decrescentes no financiamento, o reforço na já expressiva concessão de Crédito trará impulso adicional à Intensão de Consumo das Famílias (ICF), favorecendo a recuperação do PIB.

Dependendo do cenário internacional e agenda de governo, há possibilidade do Banco Central aproveitar essa "janela de oportunidade" de relaxamento monetário global e "testar juros reais" (ex-post) próximos de 1%.

(p) Inflação e juros meta Copom projetados (2019 a 2022)

Em nossa simulação gráfica, o Banco Central (Bacen) deve reduzir juros para 4,50 % até dezembro, mantendo essa taxa até dezembro de 2020. Para os anos seguintes, em cenário favorável, poderá haver gradual redução da taxa de juros Selic até 4,0%, em dezembro de 2022. Considerando inflação do comunicado do Copom de 3,40%, para 2019, 3,60% para 2020, e mantendo esse patamar para anos posteriores, a taxas de juros real (ex-post) decresce para o patamar de 1,0 % ou menor. Essa taxa real é a mesma praticada em 2012-2013, com uma grande diferença: agora esse patamar é sustentável ao longo do tempo, em função do esperado avanço fiscal e efetividade da agenda BC# em promover competição e redução dos juros finais ao tomador de financiamento em geral.

 

2 - Indicadores financeiros, Pesquisa Focus (Bacen) e Projeções


B3 (Ibovespa) e R$/USD

DISCLAIMER
1) A presente Newsletter foi preparada pela Tingas Consultoria, Assessoria e Treinamento Ltda., a pedido de Omni Banco S.A. (“Omni Banco”) e não deve ser considerada um relatório de análise
para os fins do artigo 1º da Instrução CVM nº 598, de 3 de maio de 2018 ou quaisquer outras regulamentações aplicáveis relacionadas ao tema.
2) Esta Newsletter tem como objetivo único fornecer informações macroeconômicas e análises políticas e não constitui e nem deve ser interpretada, sob nenhum aspecto, como sendo uma oferta de compra/venda ou como uma solicitação de uma oferta de compra/venda de qualquer instrumento financeiro, ou de participação em uma determinada estratégia de negócios em qualquer jurisdição. As informações contidas nesta Newsletter foram consideradas razoáveis na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas consideradas confiáveis. O Omni Banco não dá ne nenhuma segurança ou garantia, seja de forma expressa ou implícita, sobre a integridade, confiabilidade ou exatidão dessas informações. A presente Newsletter não tem a intenção de ser uma relação completa ou resumida dos mercados ou desdobramentos nela abordados. As opiniões, estimativas e projeções expressas no presente informativo refletem a opinião atual do responsável pelo conteúdo desta Newsletter na data de sua divulgação e estão, portanto, sujeitas a alterações sem aviso prévio. O Omni Banco não tem obrigação de atualizar ou modificar esta Newsletter, tampouco de informar o leitor.
3) O responsável pela elaboração desta Newsletter certifica que as opiniões, estimativas e projeções nela expressas refletem, de forma precisa, única e exclusiva, sua visão e opinião pessoal, tendo sido produzidas de forma independente e autônoma, inclusive em relação ao Omni Banco.
4) Esta Newsletter é destinada à circulação exclusiva para a rede de relacionamento do Omni Banco, podendo ser distribuída para os seus clientes, bem como para os clientes das empresas integrantes do grupo econômico do qual o Omni Banco faz parte e divulgada no site http://www.omni.com.br. Fica proibida a reprodução e/ou a redistribuição desta Newsletter para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso do Omni Banco.
5) O Omni Banco e/ou quaisquer das empresas integrantes de seu grupo econômico não se responsabilizam por decisões de investimentos que venham a ser tomadas com base nas informações divulgadas nesta Newsletter e se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste material ou seu conteúdo.
6) Para maiores informações sobre os produtos e serviços do Omni Banco, favor acessar o site http://www.omni.com.br

Fonte: Omni Banco & Financeira

Notícias relacionadas

2019-10-30 17:00:00

Redução de juros, inflação baixa e expansão do crédito indicam maior ritmo em 2020

por NICOLA TINGAS Leia mais.
2019-10-18 03:10:00

Ratings de crédito de emissor ‘brA’ atribuídos à Omni Banco S.A. e à Omni Financiamento

COMUNICADO À IMPRENSA Leia mais.
2019-10-03 05:45:00

Indicadores econômicos apontam maior crescimento do PIB neste 4º trimestre

por NICOLA TINGAS Leia mais.